domingo, 27 de setembro de 2015

Bebés de verão

O João nasceu no inverno, pior do que nascer no inverno, só mesmo nascer em vésperas de natal, acertámos em tudo!

A Maria Rita nasceu no verão e para além de podermos passear, respirar e encher a alma enquanto a criança cresce desalmadamente, no verão somos livres.

O tempo e a temperatura
No inverno sabes que tens de garantir várias camadas de roupa e o ambiente aquecido. Passas o tempo preocupada com as mudanças de temperatura que se sente nas diferentes partes da casa, por isso é provável que até chegar o bom tempo a criança só conheça o quarto e a sala.
Só sais de casa para ir ao médico e às vacinas e só te recordas de ter usado o carrinho completo (babycoque e chassi) quando a criança já tem 4 meses (até lá foi mesmo residual).

No verão não te preocupas tanto com a temperatura da casa e até levas a cria para a casa de banho se for preciso. Os banhos são dados onde calha.
É mais difícil perceber se deves vestir ou tirar roupa, até porque os bebés por norma estão deitados e sem fazer grandes movimentos por isso podem até ter frio mesmo que tu estejas a suar em bica.
Com uma semana de vida a miúda já anda com as pernas à mostra, mas só deve gozar a praia quando tiver um ano e já engolir areia.
Vais ao centro de saúde a pé e dás mais uso ao carrinho completo em 3 meses do que que deste num ano do bebé nascido no inverno.

Sobre as visitas
De inverno não há tantas coisas giras para se fazer, então ir visitar um bebé, mesmo  que nem um mês tenha feito é o programa ideal para um domingo ou até mesmo para uma noite fria e com chuva. O passeio dos tristes facilmente acaba enfiado com a família, os primos, a sogra e o cão, a lanchar em casa da desgraçada que pariu há duas semanas e ainda tem a cicatriz a latejar.
A criança sem defesas nenhumas a bailar de colo em colo ou a dormir na alcofa enquanto os homens jogam na wii e gritam indiferentes ao que os trouxe ali.

No verão está tudo muito ocupado a gozar férias, em tainadas ou em churrascos com os amigos. Vão-se lembrando vagamente que há um bebé para conhecer, mas o GPS leva-os normalmente para junto da praia ou do rio que sempre é mais fresco.
Se a família da criança te diz que durante a semana há rotinas com o filho mais velho, por isso aceita de bom grado visitas ao fim-de-semana desde que não tenham eles próprios programas giros para fazer, então é passaporte garantido para que as visitas se acumulem novamente no inverno,  quando a criança já se senta e bate palminhas ou desata aos berros quando vê caras estranhas.

Sobre ti
No inverno passas tanto tempo fechada em casa com a criança, muitos dias com choro e desespero que só desejas que os 120 dias de licença terminem rápido.
Estás prestes a enlouquecer, passas a semana sozinha 24h com a criança em modo cólicas e ao fim-de-semana continuas a receber as visitas com chá, pastéis de nata e um sorriso na cara.
O pai da criança gozou 10 dias de licença após o nascimento e vai vendo o filho aos fins-de-semana.

No verão o tempo passa tão rápido que quando olhas para o calendário a licença está quase a terminar.
Quando estás com neura metes a criança no  carrinho e vais passear. Quando a criança grita sem parar, enfias a miúda no Sling e vais caminhar.
O pai já gozou os 10 dias e vai gozando os outros só para não dar lucro à segurança social. Quando passa mais tempo ao colo do pai é borga o dia todo, porque durante o dia é para estar tesa a ver televisão.

Resumindo, malta que está em treinos ou a pensar seriamente engravidar, é agora, é dar tudo por tudo agora.

[Foto: João com umas semanas de vida, a única coisa que tinha de fora era a cara e porque precisava  de respirar. Maria Rita com o mesmo tempo de vida, já toda fresca e a fazer ballet, o calor faz milagres.]

Sem comentários: