quinta-feira, 7 de abril de 2016

Meninos digam xau ao pai

Ontem deixámos o pai no aeroporto. E vimos o avião posicionar-se na pista e levantar voo.

Ontem o pai partiu por longos meses para trabalhar fora.

Bucareste na Roménia.

O João há 3 anos sofreu muito. E eu com ele.
Agora, já com 5 anos, já a verbalizar aquilo que sente, a dominar as novas tecnologias e o mapa mundo, o meu cavalo bravo desabou.
Entrou em "coma psicológico", ficou instável e voltaram as birras. Tem períodos em que fica apático e pensativo. Outros que chora, pede colo e me diz baixinho ao ouvido "tenho saudades do pai".

Ontem publiquei uma foto no Facebook do pai a despedir-se dos filhos. Das várias mensagens que foram sendo deixadas, apenas uma deixava uma palavra aos que ficam, aos filhos. Alguém que disponibilizou o ombro para acolher os corações partidos. Todas as outras desejam boa viagem.
Sim, porque da maneira que está o mundo, o perigo está nos aeroportos, e naquele adulto que vai trabalhar de sol a sol para uma empresa que dá lucro às custas do suor dos funcionários que não podem ou não conseguem dizer "não".

Desta vez fico com dois filhos, ambos com doenças crónicas. 2 gatas, um cão. No galinheiro temos apenas as galinhas dos ovos de ouro. Temos a Primavera e o verão pela frente e muitas mudanças anunciadas.

Recebi algumas mensagens privadas a perguntar por mim e a oferecer ajuda. Eu sei que não estou sozinha. E só dói quando não consigo ajudar os meus filhos, de resto, o amor tudo cura.

Até já.

1 comentário:

Sérgio disse...

Olá Joana.
Não me conheces mas já nos cruzamos uma ou duas vezes. Sou conterrâneo de Mr.Rabbit.
Também eu ontem me limitei a deixar um gosto no post do Facebook. Mas hoje ao ler este teu desabafo não consegui conter as lágrimas. Também eu já passei por situação idêntica, também já fui ao aeroporto deixar a minha mais que tudo que partiu em trabalho e fiquei com uma filha de 4 anos a chorar e a colocar as mesmas questões que o João.
A distância não me permite ajudar mais do que te deixar um abraço de força, uma palavra de compreensão e conforto e beijos para o João e para a Maria Rita.
Não fica mais fácil mas, tal como aconteceu comigo, no final o amor e a família fica mais forte e mais unida.
Abraço skypiano ao Rabbit.

Sérgio