terça-feira, 7 de junho de 2016

Maria Rita [11 meses]

Este post foi difícil de arrancar. O corpo não tem ajudado à escrita. Quase uma semana após a cirurgia de urgência, ainda tenho um caminho longo pela frente, mas já consigo ver o sol a brilhar.

No dia em que fizeste 11 meses filha, a mãe colapsou, no meio de todo o azar (sim, tantos anos a amargurar, podia ter resistido mais uns meses) tive muita sorte, médico 5 estrelas:
- que se esmerou em deixar uma marca digna de um bom cirurgião;
- e que me salvou e devolveu anos de vida.

Podia dizer-te que correu tudo bem, mas chorei muito. Foi a primeira noite que estivemos separadas e sem a maminha. Contei segundos, minutos e  horas daquela noite longa, que mesmo após uma anestesia geral foi passada em claro.

Afinal tivemos sorte. Se fosse no dia do teu aniversário seria pior.

Já passaram 11 meses. Já gatinhas como uma louca. E páras e sentas e tiras tudo dos móveis e vais atrás de mim para todo o lado. Ficas de pé, agarrada, mas às vezes acabas por te esquecer e largas tudo.
Tens as pernas  cheias de negras, até pareces um jogador de futebol, como o teu mano.

És eléctrica. Regateira. Faladora. Irrequieta. Possessiva. Doce. Impaciente. Decidida. Aventureira.

Detestas barulho, sons agudos, não gostas que o mano te grite ou alguém que fale alto. Não gostas de ouvir o Jonas a ladrar muito perto ou que salte. Não gostas que eu te vire as costas. Não gostas de comida fria. Não gostas de dormir tapada. Não gostas que te agarrem.

É uma aventura mudar-te a fralda ou vestir-te, viras fera, esperneias, rodopias, viras-te 500 vezes, levantas-te, franzes o sobrolho quando me ouves a dizer "não" e depois encorrilhas a testa e grunhes.

Sorris com a boca cheia...de gengivas. Encorrilhas o nariz para rir e para chorar.

Começaste a falar muito rápido. Tens pressa de discutir por isso não podes estar a repetir palavras devagarinho.
Aquelas palavras todas que dizias há meses? Esquece, é raro o dia em que se apanhe uma.

Estás crescida bebé. E quase a fazer um ano de um amor muito colorido.

Houve bolo sim, quando a mãe regressou a casa e o pai veio matar saudades.
Por falar em pai, ele continua a arrancar-te  as expressões mais fascinantes.

Parabéns meu amor.

Sem comentários: