quinta-feira, 2 de junho de 2016

O universo é tramado

Mesmo quando tu achas que nada se vai complicar, que está tudo tranquilo e respiras confortavelmente, o universo encarrega-se de te mostrar que a vida sem obstáculos não tem piada nenhuma.
Então o que foi desta vez, pá?

O umbigo. Já falei tanto do meu umbigo que não vale a pena estar com muitas considerações. A não ser que duas gravidezes e a hérnia sempre aqui a dizer olá têm sido a minha companhia há seis anos.
Na terça-feira começaram as dores intensas. Tive o discernimento de chamar os meus pais porque comecei a sentir as dores a espalharem, como um cancro. O alerta a assombrar-me porque os sintomas eram idênticos quando entrei na urgência num dia quente de 2003 para ser operada ao apêndice.

Na quarta-feira, dia da criança, dia em que a Maria Rita fez 11 meses. O João logo que acordou pediu-me se o ia buscar para ir ao cinema ver os angry birds. Por isso ainda duvidei se ia ao hospital ou se ia apenas consultar um cirurgião.
As dores retomam e vou para o hospital, sem grande esperança.

Ao final do dia estava ser operada de urgência a uma hérnia umbilical encarcerada. Mas o pior, a dor pior sempre: os meus filhos. A Maria Rita que ainda mama muito, principalmente à noite.
Ter saído de casa como se tivesse apenas ido ali tomar café e não ter regressado ainda.
O João sabe que estou no hospital, mas a minha bebé...a minha bebé deve ter achado que a abandonei. Valeu o stock de leite materno que há no congelador. Mas falta o resto. E o resto é tudo.

Ok universo, já entendi. Agradeço o alerta e ter agido antes de ser tarde de mais. Mas por favor, sê bonzinho.

Agradecida.

[para quem não sabe é isto que acontece numa hérnia umbilical] 

Sem comentários: