segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Carnaval 2017 - Maria Rita

Afinal a minha ratinha chorona é uma grande foliona. Foi a grande lição de hoje.

Bem, vamos por partes.
Então quem levou a melhor? Minnie ou joaninha?
Enquanto a decisão não estava tomada, fui fazendo a saia de vermelho, porque tal como os básicos (pretos) que já estavam comprados, dava para as duas opções.
Embora a joaninha tenha reunido mais votos vossos, a Maria Rita acabou por decidir. Por mais imagens que mostrasse ela só delirava com a "mimi".
A joaninha trazia outro senão, que eram as asas, a Maria Rita não estava colaborante e nem a saia deixou experimentar, por isso acreditei que não fosse possível enfiar-lhe mais um adereço sem birra.


Hoje lá se deixou vestir sem grande resistência, e quando a coloquei no chão, tudo o que consegui foi ver uma saia esvoaçante. Delirou e não parou nem um minuto.

O João dizia "ah, que bonita. Estás tão bonita pequenita" e ela rodopiava e dava gritinhos de alegria enquanto apontava para si própria e repetia "Mimi".

Tinha conseguido. A miúda estava feliz.


De tarde lá fomos ver o desfile na escola. A Maria Rita desfilou perante um júri sénior e mais uma vez revelou uma alegria imensa. Sorria, desafiava-nos de língua de fora. A Mimi que tomou conta da minha filha é uma gaja fixe e até encantou o júri. Acabou por trazer para casa o prémio de melhor "máscara".

Tenho de ser sincera, aqueles fatos comprados já feitos são tudo menos bonitos, o vestidinho as bolas muito saloio não fica bem nem ao menino Jesus. Por isso decidi fazer uma coisa mais hardcore. Com esta saia a miúda ganhava asas, estava leve e fofa. E por isso nem bolas apliquei na saia para não estragar tudo.


Então esta mãe, muito cansada e em privação de sono, não esteve propriamente agarrada à máquina de costura. Eu explico:

- 1 m de tule para a saia (3,95€);

- 1m de elástico preto (0,80€);

O tule foi cortado em tiras e feito nós sobre o elástico. Optei por fazer duas saias e depois cozer uma com a outra. Deu este feito mais armado, como se fosse mesmo um tou-tou de bailarina.


Para as orelhas:

- 1 bandolete/arco preta (2,50€);

- feltro preto;

- tecido vermelho às bolas.

Por incrível que pareça foi a única coisa cozida na máquina de costura (as orelhas em feltro e o laço). Eram restos que andavam para aí de outras cenas.

Sapatos:

- bailarinas douradas (h&m 9,90€).

Tinha-lhe comprado umas sabrinas em cetim vermelho, mas eram um pouco grandes e saíam do pé (nem com o truque de dois pares de meia). O pai foi trocar e arranjou este modelo cintilante que ainda deu mais graça à coisa. Não tinham sola, era tipo sapato de ballet e a Maria Rita deslizava com passos pequeninos quase a levitar.

Não é por ser minha filha, caramba, mas estava tão lindaaaaa!

Obrigada às meninas da creche, que conseguiram fazer o resto, que é o mais importante, fizeram esta Mimi feliz, ainda mais feliz. 

Sem comentários: