domingo, 5 de fevereiro de 2017

É parecido com quem?

Eu gosto tanto desta pergunta que costumo responder "não é com os bichinhos do monte".

Mas há quem faça apostas sem perguntar.

Com o terceiro filho já é tudo suportável, desde as coisas que ouvimos na gravidez até aos comentários que ouvimos nos primeiros dias.

Quando me encostaram o José ao peito, ainda no bloco, olhei para ele e vi o João. Com alguns pormenores só dele, porque até os gémeos verdadeiros têm sinais que os diferenciam.

Quando a Maria Rita nasceu diziam que era muito parecida com o João, eu nunca achei. Aos 12 meses a Maria Rita fazia lembrar o João com a mesma idade? Sim, já estavam mais próximos, entretanto voltaram a ficar diferentes.
Mas os meus rapazes são realmente muito parecidos, assim recém-nascidos.

O José trazia uma covinha no queixo (e mais uma vez vão buscar este gene ao tetravô que falava russo e não olham, por exemplo, para a mãe....Ahahaha).
Para além do queixo tinha uma pápula (erupção esbranquiçada) na testa. Eu explico, uma espécie de espinha, uma borbulha branquinha. E a primeira coisa que pensei foi "ui, já com acne? Estou feita! Mais um na adolescência precoce!".

A verdade é que os meus rapazes são mesmo muito parecidos. Em tudo, até na pele sensível e já cheia de dermatites.

E pensando bem, não era eu que dizia que os rapazes eram as fatias de pão e a menina o docinho? Aqui estão eles nos primeiros dias de vida.


Nota: continuo a achar que cada um é um ser humano único. E para recordar também, eles mudam muito, mudam tanto que ainda pode ficar parecido com o leiteiro e depois é que vão ser elas!!! 

Sem comentários: