sexta-feira, 17 de março de 2017

Obrigada

Na semana passada, depois do nosso mundo abalar, mais uma vez, pedi para nos incluírem nas vossas orações.

Sentia-me perdida.
Tinham passado 7 meses desde a cirurgia da Maria Rita, tinha sido novamente mãe há 2 meses, e sem que nada o fizesse prever as luzes voltaram a acender, no vermelho.

Costumo dizer que a minha fé tem aumentado, na proporção do número de filhos. Porque quando sentimos que já nada podemos fazer, entregamo-nos a algo maior.

Eu sei que não vou conseguir evitar sempre a dor dos meus filhos, mas acredito que posso fazer os possíveis para que sofram um pouco menos.

Foi isso que tentei nestes dias. O conforto. O José tem estado em sofrimento e isso é claro.

Ontem, uma semana depois, e já no hospital de S. João foi excluída definitivamente a cirurgia ao estômago. O José não está a 100% e sendo os sintomas patológicos vai ser seguido na consulta de gastroenterologia.

Quero agradecer do fundo do coração a todos os que se têm preocupado, a todos os que param na rua para nos confortar, agradecer as mensagens e telefonemas, os testemunhos, os beijos e abraços, os sorrisos e corações partilhados. Obrigada.


O caminho vai ser longo e o José pode demorar vários meses até estabilizar. Deixou de ser o meu bebé-paz, mas já me devolve os sorrisos mais deliciosos.

Quanto a mim. Preciso de descanso. Precisava de hibernar, uma semana talvez. Numa casa junto à praia, como nos filmes, desligada do mundo e por uns dias deixar de cuidar dos outros para cuidar de mim (já que é tão difícil quem o faça por mim).

1 comentário:

Matilde disse...

Que os anjinhos abençoem e protejam o Jose, quanto ao resto acredita que depois da tempestade vem sempre a bonança, coragem e um dia de cada vez.
Bjinhosss e muita força, eu e o Lu estamos aqui a torcer por voces*