sexta-feira, 23 de junho de 2017

Há dias

Há dias em que a vida se comprime, se estreita.
Há dias em que a vida nos grita e dá sermões.
Há dias em que a memória atrofia, se esquece o tempo bom e doce.
Há dias em que o suor nos consome e o calor nos desfaz.
Há dias em que as notícias nos desfazem por dentro, como bombas cheias de pólvora.
Há dias em que o frio nos paraliza, nos deixa com o tempo suspenso nos ponteiros do relógio.
Há dias em que nos esquecemos quem somos, quem fomos e quem queremos ser.
Há dias em que o vazio se torna um túnel, sem luz ao fundo, sem farol.
Há dias em que tudo nos aperta, nos tira o ar.
Há dias em que o arco-íris nos parece monocromático e as nuvens sempre densas.
Há dias em que o nó não se desfaz, que as manhãs são iguais às noites.
Há dias em que precisas de pensar para respirar, que perguntas ao teu corpo o que precisa mas já não ouves respostas.

Mas se olhares para dentro encontras sempre resposta. És e serás a tua solução mais eficaz. Tu és forte. Tu consegues.

Sem comentários: