terça-feira, 29 de maio de 2018

Ouve o teu coração

Há 3 semanas que tenho os meus filhos doentes, quando um melhora fica outro. Esta semana ficaram dois, já com a Maria Rita a meio do antibiótico.
Pelo meio eu também fico, mas mesmo exausta continuo.
Oxalá alguém tenha a grandeza de observar a beleza das flores delicadas no meio do céu carregado.

Já nem sei bem quando começou, um domingo em que o João ardeu em febre mas na segunda-feira estava óptimo. E depois fiquei eu um dia de cama sem me aguentar em pé e o telefone a tocar porque o José estava com febre. E quando eu achava que já estavam todos bem, as luzes voltaram a disparar porque a Maria Rita estava com febre e no caso dela, bem, no caso dela não podemos esperar para ver se é uma virose que passado três dias vai chatear outro.
(Sim, de novo o pior dos cenários!)
E depois quando a Maria Rita começa a reagir à medicação, o José está novamente com febre. E depois o João. E no meio de noites muito más há sangue por toda a almofada e ninguém percebe muito bem o que aconteceu até ver restos de sangue seco no nariz do João.

Estamos na terceira semana. Neste momento estão os três  a antibiótico. Eustou exausta. Às vezes precisava de não ser cuidadora, de não ter de gerir todos os cenários e não ter medo de lamber a feridas.

Hoje no meio do caos, a Maria Rita disse-me "Mãe, ouve o teu coração!". Empurrou-me para trás para me encostar no sofá e meteu as mãos no coração. "Assim mãe, respira e ouve o coração!"

Fiquei sem chão. Disse-me depois que aprendeu na ioga. Não sei onde aprendeu, mas sei que no alto dos seus dois anos me chamou à razão.

Mesmo quando o céu está carregado, triste e tudo parece estar desfeito, há flores a encantar no jardim. Só temos mesmo de respirar e ouvir o nosso coração.

Sem comentários: